GoogleAnalytics

quarta-feira, 29 de maio de 2013

A GUERRA ENTRE TITÃS E DEUSES




Veja os antecedentes dessa estória aqui.

Como Cronos venceu Urano ele passou a reinar e, com medo de rebeliões, aprisionou no Tártaro – o submundo –, os Hecatônquiros e os Ciclopes, porque eles sabiam fazer armas. Cronos uniu-se a Réia. Dessa união nasceram Héstia, Hades, Poseidon, Hera e Hermes. Mas, assim que eles nasciam, Cronos os engolia inteiros. Como eram imortais, eles não morriam e viveram na barriga de Cronos por muito tempo. Assim que Zeus, o sexto filho nasceu, sua mãe Réia enganou Cronos, dando a ele uma pedra envolta em um lençol, que ele engoliu achando ser Zeus. Réia escondeu Zeus em uma caverna na ilha de Tebas, aonde ele foi cuidado pelas ninfas da floresta e cresceu muito rápido. Quando estava grande e forte, Zeus disfarçou-se de viajante e enganou Cronos, dando-lhe uma poção que o fez vomitar primeiro a pedra e depois os cinco irmãos e irmãs de Zeus que estavam presos. Muito tempo se passou e todos tiveram filhos e filhas, todos poderosos.

Zeus desposou Métis, sua primeira esposa, com quem teve muitos filhos. Então Zeus juntou-se a seus irmãos Hades, Hermes e Poseidon e planejou uma guerra contra os Titãs Cronos e seus irmãos. Mas eles eram deuses gigantes e poderosos, enquanto Zeus e seus irmãos não tinham poderes. Zeus então começou a tentar convencer os irmãos de Cronos a lutarem contra ele. Mas somente Prometeus e Epimeteus mudam a favor de Zeus. Ele desceu ao submundo para libertar os Ciclopes, que passam a ajudá-lo. Os Ciclopes, que eram artífices, ajudaram Hefesto o forjador, filho de Zeus, a forjar o raio para seu pai. Poseidon pediu uma arma com três pontas que soltassem três raios ao mesmo tempo, o tridente.  Hermes conseguiu uma sandália alada, que lhe permitia voar. Para Hades fizeram um capacete que o tornava invisível, já que ele, com medo, queria fugir da guerra.

Essa guerra gigante ficou conhecida como Titanomaquia, aconteceu na Tessália e foi sentida por toda a Terra, pois a terra tremia quando os titãs jogavam pedras incandescentes sobre Zeus e seus irmãos, que respondiam com a fúria de muitos raios, tempestades e maremotos. Todos acertavam o inimigo, mas ninguém morria, pois eram imortais. Por isso essa guerra durou dez anos. Essa é a descrição de Hesíodo:

“Parecia, ouvindo e vendo tão grande barulho e luz, que a terra e o céu se confundiam, pois era enorme o tumulto da terra esmagada e do céu a se precipitar sobre ela, tal o barulho da luta dos deuses. Ao mesmo tempo, os ventos, sacudindo-se, erguiam o pó, o trovão, o relâmpago, e o raio ardente, armas do grande Zeus, e levavam o brado e os clamores ao seio dos combatentes; e no incessante fragor da espantosa luta, todos mostravam a força dos seus braços." [1]


Apolo e Atena, deuses guerreiros e filhos de Zeus, entraram na batalha. Apolo lançou uma chuva de flechas sobre os titãs.  Hermes voava atacando pelos céus. Poseidon, com um só golpe do seu tridente, rachou em duas a ilha de Cós e jogou uma das partes sobre um dos titãs, que foi achatado e desde aquele dia passou a ser a ilha de Nisiro. Atena lançou a outra metade sobre outro titã que, esmagado, virou a ilha da Sicília. Então Prometeus, o mais inteligente dos deuses, pensou na estratégia de empurrar os titãs ao Tártaro.  Depois disso, Zeus e seus irmãos se unem e vão empurrando os titãs para o Tártaro até que todos caíram, menos Cronos. Zeus e Poseidon atiram muitos raios nele, que vai se afastando. Mas Cronos só cai mesmo quando tropeça em Hades, que estava agachado invisível próximo e ele. Só com o uso da inteligência e a união de todos, eles conseguem vencer. Todos esses Titãs estão presos nas profundezas do Tártaro até hoje, e quando eles tentam sair é que acontecem as erupções vulcânicas.

Zeus e seus irmãos se apossaram do Monte Olimpo, onde passaram a morar e por isso são chamados deuses olimpianos. Depois da batalha, os irmãos dividiram entre si o céu, a Terra, o Mar e o mundo subterrâneo. Zeus ficou sendo o deus dos deuses, soberano sobre todos e ficou com a Terra, passando a morar no Monte Olimpo. Quando ele está furioso despeja sobre a Terra seus raios. Hermes ficou sendo o deus do céu. Poseidon ficou sendo o deus do Mar, que faz também os maremotos, tsunamis e tempestades que afundam os navios com seus marinheiros. Hades ficou sendo o deus do submundo, o Tártaro, que era para onde iam os mortos. Lá ele vigia para que os habitantes não saiam, ajudado pelo seu cão de três cabeças chamado Cérbero.

Zeus casou-se com Hera, sua segunda esposa, mas teve outras esposas deusas e humanas. Com a deusa Deméter teve a filha Perséfone, que se casou com Hades. Prometeus então criou o homem a partir do barro e deu o fogo da inteligência para a humanidade, o que revoltou Zeus. Mas essas são outras estórias.


Fontes:
Orientações Curriculares Filosofia – Indaiatuba, 2009
BRANDÃO. Junito de Souza. Mitologia Grega

Na rede:



[1] Menard, René. Mitologia Greco-romana. São Paulo: Opus editora, 1985. 309 p. p. 3 vol. vol. 1. ISBN

2 comentários: