GoogleAnalytics

segunda-feira, 20 de maio de 2013

DEFINIÇÃO DE MITOLOGIA GREGA




Arte - Monte Olimpo

A Mitologia pode ser entendida como duas partes; a primeira é o conjunto dos mitos de um povo, as lendas narradas e escritas de diversas origens. A outra é o estudo desses mitos, uma tentativa de organizar essas lendas. Há várias mitologias pelo mundo, como a romana e a egípcia, mas a que abordaremos neste texto é a Mitologia Grega, pois nosso interesse especial é na relação que há entre ela e o nascimento da Filosofia Grega, como veremos em outros textos. Em todas as culturas, o homem cria estórias para explicar o surgimento do mundo. Essas estórias, que são lendas passadas oralmente de pais para filhos durante muito tempo, passam a ser aceitas como verdade. Assim, são ensinadas pelos pais para as crianças em casa, cantadas pelos poetas ao público e explicados aos adultos por sacerdotisas nos templos.


Os mitos gregos também foram criados (ou modificados de outros mitos) para tentar explicar o mundo que vemos e sentimos; a beleza da natureza com seus mistérios e acontecimentos impressionantes. Desde o surgimento de uma flor até o medo causado por raios, maremotos e vulcões assustadores, sem esquecer o nascimento do dia e da noite, sempre acompanhados pelo sol e pela lua, incrustados em um céu azul de dia, e negro com espetaculares estrelas à noite, tudo nos fascina.

Antes dos mitos gregos já existiam essas estórias contadas de geração a geração durante séculos e séculos, talvez milênios, em praticamente todas as culturas do mundo e por isso encontraremos várias versões desses mitos, inclusive com nomes de deuses, monstros e lugares diferentes para o mesmo mito. Para os gregos antigos não há uma verdade absoluta, como no cristianismo, e seus deuses são resultado de escritos de várias origens e de povos distintos, incorporados à sua história através de forte significação religiosa. Mas foi Homero quem primeiro organizou esses mitos que originaram os mitos gregos em dois grandes livros chamados Ilíada e Odisseia, cerca de oito séculos antes de Cristo. Os deuses gregos são humanizados, ou seja, pensam, sentem e agem como humanos, só que com mais poderes, além de serem imortais, é claro. Além disso, são ligados a aspectos psicológicos humanos como a inveja, raiva ou tristeza, ou sentimentos como o amor, a paixão, medo, ciúme, etc.

Muitas vezes os deuses se apaixonavam por seres humanos e se uniam a eles, dando origem a filhos que tinham muitos poderes, mas eram mortais, sendo semideuses ou heróis, como Hércules, Perseu e Teseu.  Podem ainda representar elementos da natureza, como o mar, a agricultura, ou aspectos históricos, como uma guerra ou a formação de uma ilha. A Grécia antiga era formada por muitas cidades-estado, cada qual com leis próprias e independência. Por isso, era comum que cada cidade adotasse como seu protetor ou protetora, deuses ou deusas diferentes. A esses deuses particulares eram erguidos templos e realizados festivais.

Quer saber mais? Veja: O UNIVERSO CRIOU OS DEUSES

Trabalho de aluno (Mito de Sísifo):


Sísifo desenhado por aluno



Fontes:
Orientações Curriculares Filosofia – Indaiatuba, 2009
BRANDÃO. Junito de Souza. Mitologia Grega

Na rede:

2 comentários:

  1. Ótimo texto! Parabéns. Vou utilizar sua definição de mito com meus alunos amanhã

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, sempre que precisar, podemos compartilhar. Você dá aulas para que nível?

      Excluir